«MÁSCARAS E MARIONETAS DO MALI»


A região de Ségou, no centro sul do Mali, é palco de uma tradição viva de máscaras e marionetas, que tem a sua origem na era pré-colonial. (…) A dança de máscaras é atual, aberta à invenção e à mudança. (…) É esta troca dinâmica entre tradição e inovação que dá ao teatro o seu caráter atual e permite que a dança de máscaras continue a ser um importante e popular contexto artístico de produção de conhecimento e significado para as comunidades do Mali. 

A conclusão resulta do estudo que iniciado entre 1978 e 1980, no campo da dança de máscaras de jovens do Mali. Mary Jo Arnoldi regressou regularmente àquele país ao longo dos 30 anos seguintes, para prosseguir a investigação.


Inspirados no comportamento e movimentos da natureza, os bailarinos usam a dança para compor a personagem dramática. É a relação entre a dança e a máscara que cria a identidade da personagem perante a assistência. Ao representar animais, o intérprete enfatiza as suas qualidades, violando qualquer sentido de comportamento socialmente aceite. Quando carateriza pessoas, a dança é composta por movimentos que a comunidade entende como o comportamento apropriado à idade, género e estatuto social da personagem.


O teatro e as danças de máscaras são usadas pela comunidade para transformar os incidentes e as tensões locais em questões de ordem mais genérica, sujeitando-as a um comentário moral mais universal.

As máscaras, mais ou menos extravagantes para imprimir energia à talha de madeira, não devem suplantar as formas naturais do material, mantendo com ele um equilíbrio dinâmico.
Muitas personagens estão ligadas a múltiplas associações. Uma das mais antigas e complexas, e que aparece na maioria dos teatros da região, é a hiena. Habitualmente, descreve-se a hiena como um ladrão que devora o gado. A hiena também aparece num grande número de contos populares sobre animais, e em muitas histórias dessas ela é atiçada contra a lebre. (…) Muitos espectadores estão cientes  da multiplicidade de significados associados à hiena, mas qual das inúmeras interpretações eles destacarão difere imensamente de indivíduo para indivíduo. 

0 comentários:

Enviar um comentário