«Silêncio, estamos a ler!»




SILENCE, ON LIT! é um conceito (e também o nome da associação que o desenvolveu) que consiste na promoção do prazer de ler livros, em simultâneo, diariamente e em silêncio, durante 10 ou 15 minutos.

Em França, o projeto começou no ano letivo de 2016/2017, a exemplo de um liceu francófono em Ankara (Turquia), onde há 15 anos toda a gente lê todos os dias, à mesma hora.

O entusiasmo dos professores e dos pais estendeu-se também aos alunos que atualmente já encaram a leitura como um prazer. Em apenas 3 meses, eram os próprios alunos que reconheciam que retiravam daquela prática quotidiana da pausa para leitura alguns benefícios importantes: a calma, o relaxamento, uma melhor capacidade de trabalho, a oportunidade de aprender coisas novas, alargar o vocabulários e estimular a imaginação.

A iniciativa começou por ser destinada sobretudo aos alunos e a estimular o seu gosto pela leitura. Mas acabou por se transformar num ritual quotidiano que abrange toda a escola, dos professores aos auxiliares. E mesmo entre os adultos há quem admita que voltou a ganhar hábitos de leitura já perdidos. Para alguns, é um pouco como recuperar a juventude.

Alguns testemunhos recolhidos na escola pública de Banon, na região dos Alpes-Alta-Provença:
Isto permite-me ler com mais frequência, e ao mesmo tempo terminar os livros mais rapidamente.
Aluna

Eu não lia. Agora leio de vez em quando. Antes não lia, nem sequer os livros que os professores mandavam.
Aluno

É mesmo muito agradável, porque temos um período de coesão, no silêncio, e é notável encontrar uma silencio com esta qualidade com um grupo de alunos.
Professor

Partimos um pouco à aventura, pensando que era uma injunção, pedir aos miúdos todos os dias, à mesma hora, que pegassem num livro. Achávamos que ia resultar três vezes, quarto vezes,... E afinal já passaram vários meses e continua.
Diretora


https://youtu.be/-a4rGVDjkYQ 


O conceito SILENCE, ON LIT !© tornou-se entretanto extensivo a todos os tipos de coletividades – desde as escolas às empresas.




RAS



0 comentários:

Enviar um comentário