«Dois livros, dois acontecimentos», a opinião de José António Gomes

Mário de Sá-Carneiro (1890-1916), figura central do 1.º Modernismo, é objecto de um precioso O Essencial sobre Mário de Sá-Carneiro (IN-CM, 2018), da autoria da premiada e reconhecida investigadora e ensaísta, Clara Rocha. Trata-se de versão refundida e aumentada de um livro anterior, de 1985. Com o rigor de concepção e construção e com a qualidade de escrita que distinguem o estilo ensaístico da autora, a obra ilumina a biografia, mas, sobretudo, a produção literária de Sá-Carneiro, enquadrando-a do ponto de vista da História Literária na sua relação com os movimentos de vanguarda da época e estudando com sensibilidade, e de forma penetrante, quer a notável poesia do autor de Indícios de Oiro, quer a sua escrita narrativa e dramática (abordando a relação daquela com o fantástico), sem esquecer a correspondência. Abrindo, por vezes, novos ângulos de análise e oferecendo, como convém, perspectivas de leitura muito próprias, o ensaio termina com uma cronologia e uma actualizada bibliografia activa e passiva (selectiva). Últimas palavras do texto: «Autor de uma fulgurante obra poética e ficcional, Sá-Carneiro afirmava naquele verso [“Daqui a vinte anos a minha literatura talvez se entenda.”], mais do que nunca, a sua crença na aura da arte e a consciência de uma singularidade criadora que o tempo viria a reconhecer» (p. 84). O livro de Clara Rocha afirma-se, assim, enquanto guia de leitura crítica e instrumento de estudo imprescindível, revelando-se, simultaneamente, como obra de deleitosa leitura.

(...)

Texto publicado em 7 de abril de 2018, em AbrilAbril - O Outro Lado das Notícias







O Essencial sobre Mário Sá-Carneiro

Coleção Essencial, n.º 8
Fevereiro de 2018

0 comentários:

Enviar um comentário