Os recortes mágicos de Su Blackwell



É aos contos de fadas e ao folclore que Su Blackwell encontra inspiração para dar vida e forma ao seu trabalho: esculturas em papel que são verdadeiras obras de arte. Sensibilidade e bom gosto não faltam a esta artista inglesa, nascida em Sheffield, em 1975, a quem já chamam «a rainha dos pop up»!

Num universo poético e onírico, Su Blackwell cria livros-esculturas com ilustrações tridimensionais complexas, que não são mais do que recortes de velhas páginas de velhos livros de capa dura, que Su encontra em alfarrabistas ou em feiras de velharias.

O elemento «natureza» predomina nas histórias recortadas de Su, que coloca as suas personagens, maioritariamente femininas, em florestas ou bosques encantados. Su diz que as suas obras tendem a representar um pouco a sua infância, quando inventava nomes para as árvores e acreditava que elas poderiam protegê-la nas florestas onde brincava. (Leia as entrevistas de Su Blackweel aqui).

Este é um trabalho super minucioso, com uma intervenção profunda e detalhada no papel mas que consegue, ao mesmo tempo e de forma sublime, preservar uma absoluta harmonia com a base de tudo: o velho livro.

Os feéricos e mágicos recortes de papel de Su Blackwell tornaram-se internacionalmente conhecidos (embora alguns não tenham sido creditados) em campanhas publicitárias para marcas como a Volvo, a Pilsner Urquell ou a Cartier.

Economia de materiais, grandes maestria, originalidade na técnica fazem de Su Blackwell um grande nome das artes inglesas contemporâneas. Já teve trabalhos expostos, entre outros sítios, no The Museum of Art and Design, em Nova Iorque, e no The Bronte Parsonage Museum, em Haworth.

Su Blackwell estudou Artes Têxteis no Bradford College e, em 2003, formou-se no Royal College of Art de Londres. Atualmente vive e trabalha em Londres.

Descubra aqui o trabalho de Su Blackwell: www.sublackwell.co.uk


0 comentários:

Enviar um comentário