Maria Ondina Braga




14 de março de 2003

Morre a escritora portuguesa Maria Ondina Braga, aos 71 anos de idade.

Maria Ondina Braga foi professora, tradutora e afirmou-se como ficcionista sendo hoje considerada um dos grandes nomes da narrativa portuguesa contemporânea.

Colaborou também com diversas revistas e jornais, nomeadamente com o Diário de Notícias, Diário Popular, A Capital, Panorama, Mulher, Acção e Colóquio Letras.

É autora de variadíssimos títulos:

O Meu Sentir (1949) - Poesia
Alma e Rimas (1952) - Poesia
Eu Vim para Ver a Terra (1965)
A China Fica ao Lado (1968)
Estátua de Sal (1969, 1983)
Amor e Morte (1970)
Os Rostos de Jano (1973)
A Revolta das Palavras (1975)
A Personagem (1978)
Mulheres Escritoras (1980)
Estação Morta (1980)
O Homem da Ilha (1982)
A Casa Suspensa (1982)
Angústia em Pequim (1984)
Lua de Sangue (1986)
Memórias e mais dizeres (1988)
Nocturno em Macau (1991)
A Rosa de Jericó (1992)
Passagem do Cabo (1994)
A Filha do Juramento (1995)
Vidas Vencidas (1998)
O destino viaja a bordo (1988)
Quando o claustro é de ninguém (2000)
O Jantar Chinês (2004, póstumo)

Já este ano a Imprensa Nacional vai começar a publicar a obra completa da escritora, numa coleção coordenada por Isabel Cristina Mateus e Cândido Oliveira Martins.

0 comentários:

Enviar um comentário