Irene Marques e Marcus Vinicius Quiroga Pereira vencem a 1.ª edição do Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro




O lusodescendente Marcus Vinicius Quiroga Pereira e Irene Marques, portuguesa a residir em Toronto (Canadá), são os vencedores ex-aequo e por unanimidade do júri, da 1.ª edição do Prémio IN/Ferreira de Castro, atribuído pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda em parceria com o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal.


Marcus Vinicius Quiroga Pereira
Não viajarei por Nenhuma Espanha, de Marcus Quiroga Pereira  e Uma Casa no Mundo, de Irene Marques, tornam-se assim as primeiras obras a conquistar o Prémio Imprensa Nacional/ Ferreira de Castro, um prémio instituído em 2019 e dirigido a portugueses residentes no estrangeiro e lusodescendentes.

O prémio visa reforçar os vínculos de pertença à língua e cultura portuguesas e homenagear a grande figura das letras portuguesas do século XX que foi José Maria Ferreira de Castro (1898-1974).

Os trabalhos distinguidos foram escolhidos de entre mais de 70 candidaturas, cujas proveniências foram muito variadas: Irlanda, Suíça, Brasil, Bélgica, Espanha, Luxemburgo, Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Moçambique, Argentina, Canadá, Estados Unidos da América e também Portugal.

Irene Marques
O júri, presidido pelo académico Carlos Reis, e do qual fazem também parte a editora-chefe da Imprensa Nacional, Dr.ª Paula Mendes, e a professora doutora Fátima Marinho, referiu, a propósito da obra Não Viajarei por Nenhuma Espanha, tratar-se de «um conjunto de poemas congraçados por manifesta unidade temática e estilística, plasmando, desse modo, o que se reconhece como a apreciável maturidade poética do autor. Junta-se a isto a fina sensibilidade do poeta que, fazendo dialogar a poesia com outras artes, constrói um macrotexto com notável riqueza cultural, expresso com rigor formal e cultivando metros com tradição consolidada».

No que respeita a Uma Casa no Mundo o júri salientou a «solidez da construção de um relato desenvolvido a partir de temas com grande significado narrativo: a aprendizagem, a memória, a relação difusa com a História, etc.».

Quanto a Marcus Vinicius Quiroga Pereira, sabe-se que nasceu no Rio de Janeiro, em 1954. É poeta, contista, crítico e ensaísta. Doutorou-se em Literatura Brasileira e é membro da Academia Carioca de Letras e do PEN Clube do Brasil. Conta já com 25 livros de poesia publicados, muitos deles premiados. Marcus Quiroga Pereira é ainda colaborador de diversas publicações literárias, como o Caderno Ideias, o jornal Rioletras e as revistas Renovarte e da Academia Brasileira de Letras. Marcus Quiroga Pereira descende de portugueses por parte do avô paterno e dos avós maternos, que eram da zona de Viana do Castelo.

Já Irene Marques é portuguesa. Emigrou para o Canadá em 1990, aos 20 anos de idade. Hoje é uma escritora bilingue (português e inglês). É autora de livros de poesia, crónica e romance. A par da escrita Irene Marques é também professora universitária nas Universidades de Toronto e Ryerson, onde dá aulas de literatura e escrita criativa. Tem também trabalhos publicados em diversas publicações internacionais no âmbito da pesquisa universitária. É doutorada em Literatura Comparada, tem mestrados em Literatura Francófona e Literatura Comparada, bacharelados em Literatura Francófona e Lusófona e Assistência Social.

Além dos 5 mil euros do valor pecuniário do prémio os vencedores deverão ver, já no próximo ano, a publicação dos seus trabalhos, com a chancela da editora pública portuguesa, a Imprensa Nacional.


0 comentários:

Enviar um comentário