Sérgio Simão Raimundo vence a 3ª edição do Prémio Literário INCM/Eugénio Lisboa



Sérgio Simão Raimundo (Maputo, 1992) é o vencedor da 3.ª edição do prémio Literário Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM)/ Eugénio Lisboa. O Prémio INCM/Eugénio Lisboa contempla a edição da obra vencedora, bem como a atribuição do valor monetário de 5.000,00 € (cinco mil euros) ao vencedor.

O júri constituído pelo poeta e editor moçambicano Mbate Pedro, na qualidade de Presidente, por Sara Jona e Paula Mendes, deliberou atribuir o prémio de prosa literária INCM/Eugénio Lisboa ao texto «A Ilha dos Mulatos», da autoria de Sérgio Simão Raimundo, e duas menções honrosas a «O Homem que Vivia Fugindo de Si», de Japone Matias Loudel Caetano Agostinho e «O Amor que Há em Ti», de Néusia de Larsane Abílio Pelembe.

A atribuição do Prémio Literário INCM/Eugénio Lisboa a «A Ilha dos Mulatos», uma novela policial contemporânea, deve-se, segundo o júri, «ao facto de o autor entrelaçar criatividade e originalidade, com a gestão da polifonia e de fluxos de consciência, numa narração que convoca à preservação da memória sobre a Ilha de Moçambique».

Concorreram à 3.ª edição do Prémio INCM/Eugénio Lisboa um total de 12 textos.

Este importante prémio literário foi criado em 2017 pela Imprensa Nacional Casa da Moeda, dando corpo à sua missão de promoção e preservação da língua portuguesa e tendo em consideração a relevância de Eugénio Lisboa, enquanto cidadão e homem de cultura nascido em Moçambique, mas também como seu autor.

O Prémio INCM/Eugénio Lisboa visa selecionar trabalhos inéditos de grande qualidade no domínio da prosa literária e, além de uma componente pecuniária, contempla a publicação das obras distinguidas em cada edição, incentivando desta forma a criação literária moçambicana.


1 comentário: