Concerto | Beethoven e Freitas Branco | Solistas da Metropolitana



Carlos Damas, no violino, Jian Hong, no violoncelo, e Savka Konjikusic, no piano, colocam lado a lado dois trios para violino, violoncelo e piano que, separados por um século, ilustram bem o que distingue o princípio e o fim do romantismo musical. Beethoven e Freitas Branco, pelos Solistas da Metropolitana, esta quinta-feira, 13 de fevereiro, pelas 18h30, na Biblioteca da Imprensa Nacional, em Lisboa.

A entrada é gratuita.

Os Solistas da Metropolitana colocam lado a lado dois trios para violino, violoncelo e piano que – precisamente separados por um século (1808 e 1908) – ilustram bem o que distingue o princípio e o fim do romantismo musical. Os dois trios Op. 70 de Ludwig van Beethoven foram compostos pela mesma altura das 5.ª e 6.ª sinfonias. Já revelam, portanto, a impetuosidade expressiva que o músico de Bona acrescentou à herança que recebeu dos grandes mestres Mozart e Haydn. Em particular, a primeira daquelas obras tem a particularidade de ser conhecida como Trio Fantasma. O nome deve-se a Carl Czerny, um aluno de Beethoven que, postumamente, referiu-se ao segundo andamento da obra estabelecendo comparação com o ambiente tenebroso da aparição do fantasma em Hamlet de Shakespeare. Descobriu-se mais tarde que havia nessa opinião uma intuição certeira, quando esboços do manuscrito foram encontrados junto ao Coro das Bruxas, por entre apontamentos destinados à ópera Macbeth, a qual nunca chegou a ser completada. Por sua vez, o jovem Luís de Freitas Branco revela no seu trio um lirismo aparentemente desregrado, desafiando muitos limites. O compositor português assimilava então a sonoridade que provinha dos cromatismos de Claude Debussy e da estrutura cíclica de César Franck. Planeou, porém, com rigor um andamento único composto por uma série de episódios contrastantes, e sem nunca perder a congruência do discurso.
in www.metropolitana.pt

SOLISTAS DA METROPOLITANA

L. de Freitas Branco Trio com Piano
L. v. Beethoven Trio com Piano, Op. 70/1, Fantasma
Carlos Damas violino
Jian Hong violoncelo
Savka Konjikusic piano

Quinta-feira, 13 de Fevereiro, 18h30, Biblioteca da Imprensa Nacional 

(Rua da Escola Politécnica, n.º 135, 1250-100, Lisboa)

0 comentários:

Publicar um comentário