A Imprensa Nacional como «Propriedade da Nação» | Vol. 02| «250 anos da Imprensa Nacional. Uma Breve História» já disponível gratuitamente



Esta edição, em formato exclusivamente digital, constituída por 10 pequenos volumes, é uma breve síntese adaptada a partir da obra Indústria, Arte e Letras.250 Anos da Imprensa Nacional, da autoria de Maria Inês Queiroz, Inês José e Diogo Ferreira, publicada pela Imprensa Nacional em 2019, com design da fba.

Este 2.º volume dá conta dos primeiros anos do século xix, anos que marcaram um período especialmente conturbado da história da Impressão Régia. E do país também.

Com as invasões francesas e a consequente fuga da corte para o Brasil, as oficinas foram ocupadas pelas tropas de Junot, que passaram a controlar os meios de produção da informação e a interferir nas suas impressões. O mesmo sucedeu com uma promissora fábrica de papel instalada em Alenquer, que se pensava vir a fazer parte da Impressão Régia, mas que acabou destruída com a passagem dos franceses pelo território português. A Revolução Liberal de 1820 também se fez sentir nas relações entre a Impressão Régia e o Estado, que alterou simbolicamente a sua designação para Imprensa Nacional, por se tratar de «propriedade da Nação».

in 250 anos da Imprensa Nacional. Uma Breve História


Pode lê-lo e descarregá-lo gratuitamente aqui.

0 comentários:

Publicar um comentário