Novidades | Alvaro Pirez d'Évora. Um Pintor Português em Itália nas Vésperas do Renascimento




Alvaro Pirez é o mais antigo pintor nascido em Portugal documentado na região da Toscana, em Itália, onde trabalhou entre 1410 e 1434. A assinatura que deixou no retábulo da Igreja de Santa Croce de Fossabanda, próximo de Pisa, onde se diz oriundo de Évora, e uma curta referência do grande historiador Giorgio Vasari, de 1568, que o nomeava «Alvaro Piero di Portogallo», comprovam a sua origem.

Alvaro Pirez d'Évora. Um Pintor Português em Itália nas Vésperas do Renascimento é o título do catálogo da exposição homónima que decorre até 15 de Março de 2020 no Museu Nacional de Arte Antiga, organizada em estreita colaboração com o Polo Museale della Toscana. A exposição é comissariada por Joaquim Oliveira Caetano (Diretor do Museu Nacional de Arte Antiga) e Lorenzo Sbaraglio (Polo Museale della Toscana)

Esta edição, ricamente ilustrada e cientificamente documentada através do contributo dos especialistas que nela participaram, assinala de forma indelével o testemunho da mais completa exposição de sempre dedicada ao pintor português do século XV, Alvaro Pirez, conjuntamente com outras obras de grandes pintores toscanos do seu tempo. A coordenação cientifica é de Joaquim Oliveira Caetano e Lorenzo Sbaraglio. A Coordenação editorial é de Ana Sousa com o apoio de Inês Gaspar Silva e Miguel Soromenho. Conta com textos de Alberto Lenza, Andrea Staderini, Angelo Tartuferi, Antonia d’Aniello, Antonia Solpietro, Carl Brandon Strehlke, Caterina Bay, Chiara Marcheschi, Christopher Daly, Cristina Gnoni Mavarelli, Daniela Parenti, Dora Sallay, Elisa Brunoni, Elisa Camporeale, Emanuele Zappasodi, Federica Siddi, Giulia Scarpone, Jerôme Hayez, Joaquim Oliveira Caetano, Lia Brunori, Lorenzo Sbaraglio, Luísa Penalva, Maria Falcone, Maria João Vilhena de Carvalho, Marilena Tamassia, Valentina Catalucci e Virgínia Caramico.

A qualidade plástica e a importância histórica do pintor Alvaro Pirez d’Évora, de quem se conhecem pouco mais de 50 pinturas, artisticamente enquadradas na pintura centro-italiana da época, justificam a organização de uma grande exposição sobre a sua obra e a sua época, que será apresentada no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, entre 29 de novembro de 2019 e 15 de março de 2020.
Da exposição fazem parte pinturas conservadas em Portugal, entre elas a preciosa Anunciação que pertenceu à coleção do chanceler alemão Konrad Adenauer, e ainda obras dos grandes pintores toscanos do seu tempo. Incluindo cerca de 85 peças, pretende-se apresentar também o contexto cultural e artístico em que se desenvolveu a arte de Alvaro Pirez d’Évora. Esta mostra, a mais completa realizada até hoje, contará com empréstimos de grandes museus europeus, entre os quais se destacam a Gemaldegalerie (Berlim), o Musée du Petit Palais (Avignon), o Museo Nazionale di San Matteo (Pisa), a Pinacoteca Nazionale di Siena, a Galleria d’Arte Moderna (Milão), as Gallerie degli Uffizi (Florença), e ainda de muitas outras instituições museológicas e coleções privadas de referência, de Itália, França, Alemanha, Hungria e Polónia.
in http://www.patrimoniocultural.gov.pt/

0 comentários:

Publicar um comentário