Edições Gratuitas | BFLP | História de Menina e Moça | Bernadim Ribeiro




«Menina e moça me levaram de casa de minha mãe para muito longe.»

É este evocativo de saudade e sentimentalidade que dá nome, início e matriz a uma reconfiguração do romanesco na literatura da segunda metade do século XVI. Trata-se da frase inicial do Prólogo do livro Saudades, mais conhecido por História de Menina e Moça de Bernardim Ribeiro (Torrão, 1482? — 1552?).

Para muitos, História de Menina e Moça é considerada a primeira novela pastoril da Península Ibérica, escrita em português, por Bernardim Ribeiro. Ainda no século XVI foi editado por três vezes: em 1554 (Ferrara, com o título História de Menina e Moça), em 1557-58 (Évora, com o título Saudades) e em 1559 (Colónia, a partir da 1.ª edição).

Estamos pois na presença de um clássico com mais de 450 anos, de um romance psicológico que nos transporta para os contos de cavalaria e para a tradição de questionamento interior e dúvida, perante as forças e as estratégias incontroláveis do desejo.


Esta edição, inserida na coleção «Biblioteca da Literatura Portuguesa» conta com nota prévia de Carlos Reis e edição de texto, introdução, nota bibliográfica, glossário e notas de Marta Marecos Duarte, proporcionando ao leitor uma leitura crítica deste original e imprevisto clássico: «o livro há de ser do que vai escrito nele».

Na Menina e Moça, Bernardim Ribeiro, como poeta cortês que foi, interessou-se sobretudo por expor estados de espírito. Nesse sentido, a contemplação sobre os efeitos do amor sobrepõe-se em certa medida ao intento de escrever uma história perfeitamente acabada. Neste desnudar da interioridade alheia, ou da interioridade do próprio através da interioridade do outro, tendo-o como um espelho de si próprio, a heterodiegese revela-se decisiva na novela de Bernardim. A narração da Dona do Tempo Antigo torna possível uma descrição das múltiplas reações que a paixão provoca em personagens diversificadas, transcendendo-se, desta forma, os «limites» da narrativa autobiográfica apresentada na abertura da obra.

Marta Marecos Duarte , in «Introdução» de História de Menina e Moça 

0 comentários:

Publicar um comentário