O Pensamento Republicano: Ensino, Cultura e Modernidade | Vol. 05 | «250 anos da Imprensa Nacional. Uma breve história»



Esta edição, em formato exclusivamente digital, constituída por 10 pequenos volumes, é uma breve síntese adaptada a partir da obra Indústria, Arte e Letras.250 Anos da Imprensa Nacional, da autoria de Maria Inês Queiroz, Inês José e Diogo Ferreira, publicada pela Imprensa Nacional em 2019, com design da fba.

Este 5.º volume, O Pensamento Republicano: Ensino, Cultura e Modernidade percorre o período que vai da Implementação da República em Portugal, em 1910, até ao derrube desta, a 28 de maio de 1926.

Com a Implantação da República, em 5 de outubro de 1910, a Imprensa Nacional conheceu uma maior valorização política e social, representada pelo seu administrador-geral, Luís Derouet. Alinhada com os valores do republicanismo, a Imprensa reforçou o seu papel no domínio da instrução, da cultura e da sua própria afirmação institucional. A mudança começou pela implementação do regime de oito horas de trabalho diário, a criação de caixas de apoio a viúvas e órfãos e a instalação da primeira cooperativa integrada em serviços do Estado. 

A curto prazo, a Primeira Guerra Mundial introduziu mudanças profundas na economia, na sociedade e nos paradigmas culturais e políticos. Na Imprensa Nacional, os primeiros impactos refletiram-se na luta pela acalmia social e pela melhoria de recursos financeiros. A estes desafios associou-se uma afirmação, sem precedentes, do seu papel cultural, refletida numa maior internacionalização, na criação da sua primeira coleção editorial e na abertura da sua nova biblioteca em 1923, onde passou a acolher exposições e palestras.

in 250 anos da Imprensa Nacional. Uma Breve História



0 comentários:

Publicar um comentário