Dia Mundial da Língua Portuguesa | A Língua Portuguesa como Ativo Global



5 de maio é o Dia Mundial da Língua Portuguesa, instituído oficialmente pela UNESCO, reconhecendo assim a importância e a dimensão da nossa língua no mundo, partilhada por mais de 265 milhões de pessoas. E num dia especial, um livro especial. Hoje, dia 5 de maio de 2020, disponibilizamos o nosso primeiro livro exclusivamente em formato digital gratuito: O Essencial Sobre A Língua Portuguesa como Ativo Global, de Luís Reto, Nuno Crespo, Rita Espanha, José Esperança e Fábio Valentim.

Uma edição que contou com o apoio do Camões, Instituto de Cooperação e da Língua.


Menos de uma dezena de línguas no mundo pode hoje reivindicar o estatuto de língua global, e a língua portuguesa encontra-se nesse restrito grupo. Esta é uma ordenação de línguas que não se reduz apenas ao número de falantes mas que integra várias outras dimensões, como indicadores económicos, de influência ou de dispersão geográfica de cada comunidade linguística. A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa possui, assim, um património comum, pertencente por inteiro a todos os seus falantes, que a todos pode trazer vantagens, quer nas relações bilaterais, quer na cena mundial.

in O Essencial Sobre A Língua Portuguesa como Ativo Global

Fernando Pessoa referia-se à língua como o lugar onde se está e onde se vive, chamando a isso «pátria». «A minha pátria é a língua portuguesa», escreveria o seu semi-heterónimo Bernardo Soares, no Livro do Desassossego, criando sem o saber, o que viria a servir de mote à lusofonia.



Hoje, a língua portuguesa é uma língua viva, sem fronteiras, multifacetada e global e cuja difusão geográfica — fruto da expansão marítima dos séculos XV e XVI — constitui uma das suas grandes mais-valias. À semelhança do inglês, do espanhol e do francês, está enraizada nos cinco continentes e figura na lista das seis línguas mais faladas no Mundo, sendo a 3.ª língua europeia mais falada à escala global e a 1.ª mais falada no Hemisfério Sul. Mas a Língua Portuguesa é mais:


É uma língua presente nos sistemas educativos mundo fora;
é uma língua política, institucional, de negócios e de trabalho;
é uma língua da cultura e da ciência;
é uma língua na rede e no mercado concorrencial das línguas;
é uma língua em expansão, que vai aumentar de  número de falantes até 2100;

Na Imprensa Nacional-Casa da Moeda todos os dias são dias de celebrar a Língua Portuguesa, é nossa missão permanente preservá-la e promovê-la. E fazemo-lo de muitas formas:

acolhemos poetas de língua portuguesa na nossa «Coleção Plural»;
divulgamos os grandes clássicos da nossa literatura na coleção «Biblioteca Fundamental da Literatura Portuguesa»;
povoamos uma já vasta Biblioteca só com autores portugueses que nos trazem poesia, ficção, crónicas, memórias, diários, epistolografia… na nossa coleção «Biblioteca de Autores Portugueses»;
restauramos minuciosamente as «oficinas de trabalho» dos autores maiores da literatura portuguesa, guiados pelo olhar crítico e atento dos nossos maiores especialistas que reconstroem estas verdadeiras «catedrais» nas coleções de «Edições Críticas» de Camilo Castelo Branco, Almeida Garrett, Fernando Pessoa e Eça de Queirós;
desmultiplicamos (ou multiplicamos ainda mais) Fernando Pessoa na nossa coleção «Pessoana»;
publicamos as «Obras Completas» de autores que fizeram história, como M. Teixeira Gomes, Jaime Cortesão, Vitorino Nemésio, Almada Negreiros, Thomaz Figueiredo, Branquinho da Fonseca, Adolfo Casais Monteiro, José Régio e Bocage, entre tantos outros;
acendemos as luzes do palco aos dramaturgos nacionais na nossa coleção «Teatro»;
zelamos e cuidamos criteriosamente de um acerco de mais de 20 mil obras de nomes relevantes da identidade nacional, entre elas os incunábulos e as primeiras edições da Imprensa Régia;
premiamos poetas, ensaístas e tradutores em língua portuguesa com a criação com a criação dos nossos Prémio Literários (Portugal, Moçambique, Cabo-Verde e Diáspora Portuguesa).

A Imprensa Nacional-Casa da Moeda mantém, todos os dias, o seu compromisso de serviço público com com a Língua Portuguesa, um compromisso que foi recentemente reforçado com a disponibilização, em acesso gratuito, de centenas de títulos do nosso catálogo - entre literatura, história, ensaios, poesia ou catálogos de museus - na nossa página de internet (www.incm.pt). Obras que podem ser lidas e descarregadas gratuitamente, em qualquer parte do mundo. Uma iniciativa recente que, no espaço de 2 meses, já alcançou 150 mil descargas. Chegamos cada vez mais a mais gente. E vamos continuar.

No campo da numismática a Imprensa Nacional-Casa da Moeda celebra também a Língua Portuguesa. Está prevista, ainda para este ano, a emissão de uma moeda comemorativa alusiva à Língua Portuguesa. Revelamos aqui, em primeira mão, o desenho desta moeda comemorativa criada pelo escultor João Duarte.


0 comentários:

Publicar um comentário