Plural | Poesia Pelos Poetas | Daniel Maia-Pinto Rodrigues



Convocámos (virtualmente) os nossos poetas e lançámos o desafio: dizer, pela própria voz, a sua própria poesia. Hoje Daniel Maia-Pinto Rodrigues está de volta ao Prelo para dizer os seus poemas: «Anoitece na Aldeia» e «Despedida». Daniel Maia-Pinto Rodrigues publicou na Imprensa Nacional, em fevereiro deste ano, o título Turquesa, onde reúne a sua poesia de 1977 a 2015.




«Anoitece na Aldeia»

Anoitece na aldeia
e numa animação de fábula
as pessoas recolhem às casas.

Das chaminés, pelos telhados
o fumo já faz parte da noite.

O amarelo das janelas
pontilha o preto.

O vento perdeu-se
no bosque e as crianças, nos cobertores
usufruem do medo.

Pelas imediações da aldeia
os lobos aproximam-se da realidade.




«Despedida»

Amanhece
e no espreguiçar dos olhos
absorvo a tontura do novo dia.

Ao sair do quarto
atravesso o branco sujo da manhã
e vou tomar café com muito açúcar.

Levo um pastel de Tentúgal para a varanda
e mastigo-o ouvindo as harpas da cidade.

E quando tu chegas de roupão
bebendo o teu cacau
explico-te o horizonte com barcos.

0 comentários:

Publicar um comentário