Almada Negreiros desapareceu há 50 anos




Escritor, conferencista, novelista, crítico panfletário, polemista, ensaísta, romancista, poeta, dramaturgo e desenhador hábil, Almada Negreiros é uma das figuras mais talentosas do século XX português. O seu génio permitiu-lhe estar presente em todas as frentes do modernismo.

José de Almada Negreiros faleceu, em Lisboa, a 15 de junho de 1970. Há 50 anos precisos.

Obras de Almada Negreiros publicadas na Imprensa Nacional-Casa da Moeda, S. A.:

Poesia, com «Almada Negreiros Poeta», por Jorge de Sena, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. I, 1990

Nome de Guerra, prefácio de António Alçada Baptista, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. II, 1994

Artigos no Diário de Lisboa
, org. e prefácio de E. W. Sapega, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. III, 1988

Contos e Novelas, com texto introdutório de Maria Antónia Reis, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. IV, 1993

Ensaios, introdução de Eduardo Lourenço, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. V, 1992

Textos de Intervenção, introdução de Luísa Coelho, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. VI, 1993

Teatro, todos os textos dramáticos conhecidos, incluindo três inéditos, Obras Completas de Almada Negreiros, vol. VII, 1993

E ainda sobre Almada Negreiros:

José-Augusto França, O Essencial sobre Almada Negreiros (n.º 66), 2003

José Jorge Letria (texto) e Tiago Albuquerque (ilustr.), Almada Negreiros, Viva o Almada, Pim!, coleção Grandes Vidas Portuguesas, 2014

0 comentários:

Publicar um comentário